Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Biblioteca da Inês

Um blog sobre a minha paixão pelos livros infantis e exemplos de como os desenvolver em educação de infância

A Biblioteca da Inês

Um blog sobre a minha paixão pelos livros infantis e exemplos de como os desenvolver em educação de infância

Qua | 01.04.20

Criatividade#1: Um livro especial

Inês Martelo Ribeiro

Com o isolamento social, muitas são as sugestões de leituras e animações de histórias. Pessoalmente, adoro ler, especialmente literatura infantojuvenil. Porém hoje venho trazer uma nova sugestão: e que tal se, de vez em quando, também inventássemos narrativas?

A importância da criatividade é conhecida por todos, sendo que novas ideias são bem-vindas nas mais diversas de situações. Existem pessoas que parecem ser naturalmente criativas. No entanto, a criatividade, tal como qualquer outra capacidade, tem de ser treinada e estimulada.

E é neste âmbito que vos trago esta sugestão: ItsImagical stories da Imaginarium.

IMG_6162.JPG

A particularidade deste livro é que tem como principal intuito estimular as crianças a inventarem as suas próprias histórias, bem como desenvolver competências comunicativas. Este em particular veio pertencer à minha biblioteca por herança de infância dos meus irmãos, mas há cerca de 2 anos comprei um para oferecer no aniversário da minha afilhada.

IMG_6152.JPG

Não tem qualquer tipo de texto, apenas imagens e dedoches (6 fantoches para os dedos) arrumados na gaveta lateral. As imagens estão agrupadas em fichas redondas (20 personagens) e quadradas (10 para cenários, 10 para elementos ou peripécias e 5 em branco). Nas que estão em branco, é para cada um criar o que quiser para introduzir na sua história. As abas/páginas servem como suporte para colocar as fichas.

IMG_6157.JPG

Para além disso, este livro vem ainda equipado com uma caixa musical com 16 efeitos sonoros diferentes (por exemplo, ronco do porco, varinha mágica, gargalhada maléfica) e 4 melodias. Tem apenas 10 botões - quando se aperta uma vez ouve-se o som desenhado no botão, quando se apertam duas ouve-se o som do desenho mais próximo (por exemplo, se se apertar uma vez o botão do cavalo, ouve-se o som do cavalo; se se apertar duas vezes, ouve-se o lobo a uivar). Infelizmente, de tanto uso, os meus sons já não funcionam, mas este é um pormenor fantástico para enriquecer os contos orais.

IMG_6161.JPG

Como é que funciona? Não existem regras estanques e é possível ficar apenas na oralidade ou passar ao registo escrito. Podemos:

  • Partir de uma história que já conhecem e ir buscar as fichas ou fantoches consoante os diferentes elementos vão surgindo (para desenvolver o reconto);
  • Baralhar as fichas e tirar aleatoriamente uma de cada categoria, criando uma história que as inclua a todas e tendo obrigatoriamente que recorrer aos sons (é a forma que eu mais uso);
  • Pedir que cada um tire aleatoriamente uma (ou mais) ficha/fantoche e ir introduzindo cada uma delas numa história coletiva (para treinar o improviso);
  • Construir uma história já conhecida apenas com as imagens e pede-se ao outro para adivinhar qual é e recontá-la através da leitura das imagens (para aumentar a concentração e a interpretação).

IMG_6159.JPG

As possibilidades são infinitas e serve não só para a criação de histórias, mas também para inventarmos novas formas de jogar.

IMG_6156.JPG

E aí em casa já conheciam? Utilizam outro instrumento e/ou de forma diferente?

Contem-me tudo!

2 comentários

Comentar post